Sistema Religioso

17/03/2012 10:33

  CONCEPÇÃO DO MUNDO

ÀIYÉ    E    ÒRUN

 

Os Yorubás concebem que a existência transcorre em dois planos:

   ÁIYÉ   -   Compreende o universo físico concreto e a vida de todos os seres naturais que o habitam.

   ORUN  -  É o espaço sobrenatural, o outro mundo. Trata-se de uma concepção abstrata de algo imenso e distante.

   Quase todos os autores traduzem Orun por céu  ou paraíso, tradução que induz ao erro e tendem a deformar do conceito.

O Orun é concebido como um mundo paralelo ao mundo real que coexiste com todos os conteúdos deste. Cada indivíduo, cada árvore, cada animal, cada cidade etc. possui um duplo espiritual e abstrato.

Os mitos revelam que, em épocas remotas, o Àiyé e o Orun não estavam separados. A existência não se desdobrava em dois níveis e os seres dos dois espaços iam de um a outro sem problemas.

Foi depois de uma violação de interdição que os dois mundos se separaram.

Duas histórias ( Ìtàn ),  mantidas vivas pela tradição oral, contam a criação de um terceiro espaço o Sánmò, o céu atmosfera, conseqüência da separação do Àiyé  com o Orun.

Uma destas história conta que no tempo em que o Orun  limitava-se diretamente com o Àiyé, um rapaz proibido de transpor o limite do Àiyé, desobedeceu esta vontade de Orixalá ou Orixá n'la ou Oxalá ( divindade mestra da criação do ser humano). Este rapaz  estando dentro do Orun, desafiou o poder de Òrìsàlá. Apesar de ter sido chamado a atenção várias vezes, o rapaz insistiu até que Òrìsàlá, irritado, lançou seu cajado ritual, o òpásóró, que atravessando todo o espaço do Orun, veio cravar-se no Àiyé separando-o para sempre do Orun, antes do òpásóró   retornar às mãos de Òrìsàlá, este, soprou o ar divino ( òfurufú) que se transformou no Sánmò.

É comum referir-se a terra como Àiyé subentendendo-se que Ilê, a terra, não compreende a totalidade do Àiyé  e que ao falar de Orun, não se trata apenas do céu, mas de todo o espaço sobrenatural.

Alguns babaláwo ( sacerdotes versados nos mistérios oraculares), descrevem o Orun como composto de nove espaços, sendo cada um destes espaços situados de forma  sobrepostos, e o do meio coincidindo com o espaço terra. Os nove espaços do Orun , formam um todo, estão unidos pelo òpó-Òrun, pilar que liga o Orun ao Àiyé.

O Ifátoogun, de Òsogbo, descreve os nove espaços do Orun dando nomes particulares a cada um deles.    Verificamos igualmente, que o símbolo nove, aparece também em relação com os mortos e ancestrais e o mito que fala dos nove filhos de Yansã ( Lembrada na saudação - Oyá mesan Orun ). A que divide o Orun em nove.

Independentemente de outras significações, inclusive a da indicação das categorias dos seres sobrenaturais reagrupados em nove compartimentos, podemos notar que de acordo com as crenças yorubanas,  o Orun não só ocupa o espaço terra, mas também o contorna por cima e por baixo, abrangendo a totalidade do mundo. Para não deixar a menor dúvida, quanto a simultânea  ambigüidade e existência do Orun e do Àiyé, ambos estão fortemente unidos pelo òpó, que em algumas histórias, é substituído por uma cadeia imponente, o èwòn ámúnrò.

Contato

Nossas Raizes omoidan@hotmaill.com